Justiça condena três por morte de torcedor atingido por privada no Arruda

Foram condenados nesta quarta-feira três homens responsáveis pelo homicídio do torcedor Paulo Ricardo Gomes da Silva, de 26 anos, após uma partida entre Santa Cruz e Paraná, disputada no dia 2 de maio de 2014, no estádio do Arruda.

 

Waldir Pessoa Firmo Júnior, de 34 anos, Luiz Cabral de Araújo Neto, de 30 anos, e Everton Filipe Santiago Santana, de 23 anos, atiraram vasos sanitários contra os torcedores do Paraná que deixavam o Arruda após o término do confronto. Arremessada de uma altura de 24 metros, uma das privadas atingiu Paulo Ricardo, que não resistiu aos ferimentos e morreu na hora.

 

Segundo o site "Superesportes", de Pernambuco, o Conselho de Sentença da 2ª Vara do Tribunal do Júri da Capital condenou Waldir Júnior a 28 anos e nove meses de prisão, Everton Santana a 28 anos e seis meses e Luiz Neto a 25 anos de reclusão. A audiência teve início às 9h40 (de Brasília) e só foi encerrada depois das 22 horas desta quarta-feira.

 

Embora os acusados tenham atirado os vasos sanitários justamente na área externa onde se encontravam os torcedores do Paraná, a defesa tentou argumentar que os réus não tinham interesse de assassinar ninguém com a ação.

 

Após deliberar por aproximadamente três horas, o júri decidiu pela condenação dos réus por homicídio doloso duplamente qualificado, quando há motivo fútil e não é dada chance de defesa à vítima. Para o pai de Paulo Ricardo, José Paulo Gomes, "a justiça foi feita" com o veredicto.

 

"A dor permanece, mas a gente caminha", afirmou ao "G1". A promotora Dalva Cabral ressaltou que a condenação dos acusados será fundamental para coibir a violência nos estádios e reaproximar as famílias das arquibancadas. "Esse julgamento marca um novo tempo. O conselho de sentença põe fim à incitação da violência", disse.

 

Paulo Ricardo era fã do Sport e estava no Arruda para acompanhar um grupo de torcedores rubro-negros que tinha amizade com a organizada do Paraná. Os torcedores do Santa Cruz teriam atirado as privadas contra os visitantes por conta da rivalidade existente entre as torcidas pernambucanas.

 

Os acusados de cometer o crime foram presos alguns dias após a morte de Paulo Ricardo. Eles participaram de uma reconstituição do assassinato, no dia 12 de maio, e desde então estão presos no Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, na região do Grande Recife.

 

FONTE: ESPN


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!