FA anula cartão vermelho de Gabriel Paulista

O clássico entre Chelsea e Arsenal, no último sábado, teve muito mais do que 90 minutos. Durou até a tarde desta terça-feira, quando a FA anunciou suas decisões quanto às punições a Gabriel Paulista e Diego Costa, que se desentenderam na partida no Stamford Bridge.

 

Enquanto o zagueiro teve seu cartão vermelho anulado, o atacante acabou punido com três jogos de suspensão, já a partir do duelo desta quarta, contra o Walsall, pela Copa da Liga Inglesa.

 

A punição a Diego Costa é mais do que justa. O atacante tem um estilo polêmico, está sempre provocando os adversários e levando-os a perderem a cabeça e acabar expulsos, como aconteceu com Gabriel, mas a atuação do atacante no sábado não se limitou a provocações.

 

As agressões a Koscielny, com tapas na cara e peitada no belga, foram claras, e o jogador poderia perfeitamente ter levado o cartão vermelho na hora, se o árbitro Mike Dean tivesse visto as infrações.

 

Já o caso específico de Gabriel Paulista foi mais complicado. O brasileiro havia tomado as dores por Koscielny e partiu para cima de Diego Costa. Não o agrediu, apenas trocou xingamentos com o adversário e, mais tarde, tentou discretamente acertar um chute no jogador do Chelsea.

 

Um dos auxiliares de Mike Dean viu a suposta agressão, mas imagens exclusivas da ESPN Brasil posteriormente mostraram que o zagueiro não chegou a acertar o oponente.

 

A partir delas, a FA decidiu anular o cartão a Gabriel Paulista, que, por ter sido expulso diretamente, havia recebido também um gancho de três jogos.

 

É natural a sensação de justiça feita após o anúncio das decisões da FA. Os ingleses, em especial, se indignaram com a postura de Diego Costa e, principalmente, com o fato de que o hispano-brasileiro havia escapado ileso de toda a confusão e pôde continuar no jogo.

 

Foi a própria pressão pública, aliás, que abriu caminho para que a entidade acabasse, três dias depois, anunciando a inversão das punições. Mas por mais justa que tenha sido, ela abre um precedente delicado.

 

Mike Dean foi mal em sua tomada de decisões no jogo. Diego Costa deveria ter sido expulso, e Gabriel Paulista não deveria ter ido para o chuveiro mais cedo, mas a intervenção da FA em um cartão vermelho após o jogo ter sido encerrado diminui a autoridade do árbitro. A curto prazo, é a decisão mais correta:

 

Diego Costa paga por seu erro, e Gabriel Paulista, o prejudicado, se vê livre da suspensão. Mas ela pode acarretar em problemas para outros árbitros no futuro.

 

A Federação precisará ter bastante jogo de cintura para lidar com casos parecidos, porque eles certamente virão. Especialmente em uma liga com tamanha pressão externa dos treinadores à arbitragem como é a Premier League.

 

FONTE: TRIVELA


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!