CPI do Futebol aprova quebra de sigilo bancário e fiscal de Marin em sessão tumultuada

Em audiência tumultuada, a CPI do Futebol aprovou, nesta quarta-feira, um requerimento de quebra dos sigilos bancário e fiscal do ex-presidente da CBF, José Maria Marin. A comissão também quer as informações financeiras do cartola do período de 12 de março de 2012 até 30 de maio de 2015, dia em que ele foi preso na Suíça.

 

Outro brasileiro envolvido no escândalo de corrupção que assola a Fifa, José Marguiles é outro que pode ter seus sigilos bancário e fiscal quebrados a pedido da CPI. O empresário é proprietário empresas de transmissão de eventos esportivos e está na lista de procurados da Interpol e do FBI. Ele trabalhou por cerca de 20 anos com J. Hawilla.

 

A sessão teve seus momentos de tensão, principalmente, em discussão entre o senador João Alberto (PMDB-MA), que substituiu seu colega de partido senador Eunício de Oliveira, e Romário (PSB-RJ). O primeiro definiu o futebol brasileiro como "um dos mais organizados do mundo" e recebeu dura resposta do ex-jogador.

 

"Eu vejo o futebol do Brasil como um dos mais organizados do mundo, daí essas conquistas sucessivas do Brasil. E, quando nós saímos de uma Copa do Mundo em quarto lugar, achamos que fomos os grandes derrotados. Mas é porque nos acostumamos a sermos os primeiros", disse João Alberto.

 

"Discordo 100% do que o senhor acabou de falar. Primeiro que nosso futebol não é organizado, é um dos mais desorganizados do mundo; segundo, não temos dirigentes bons e ruins, temos ruins e péssimos; terceiro, a seleção que disputa uma Copa em casa e toma de 7 a 1, se acha que isso é positivo, não posso acreditar que você tenha experiência com futebol. Isso não entra na cabeça de ninguém, muito menos na minha que joguei futebol por muito tempo e muito bem, modéstia a parte", rebateu Romário.

 

O senador do PSB ainda voltou a fazer duras críticas a Marco Polo Del Nero, atual presidente da CBF. "Você não pode dizer que não é verdade que o Marco Polo é ladrão, é safado, desonesto e corrupto", disparou, sendo brevemente interrompido pelo companheiro.

 

"Esse senhor, com todo respeito que tenho por Vossa Excelência, ele não presta, é imoral, é um dos cânceres que temos no futebol. E câncer tem que ser extirpado. Eu, aqui nessa CPI, farei de tudo para que isso aconteça", prosseguiu Romário.

 

Na próxima semana, a CPI realiza audiência pública com presidentes de federações de futebol. Estão confirmados Reinaldo Rocha Carneiro Bastos (Federação Paulista de Futebol), Rubens Lopes (Carioca), Castellar Modesto Guimarães Neto (Mineira), Evandro Barros de Carvalho (Pernambucana) e Gustavo Vieira (Espírito Santo).

 

FONTE: ESPN


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!